Jazz e ares de outono, a conjugação perfeita

O Ciclo de Jazz ocupou o seu lugar na nova estação e a Casa da Música não o poderia deixar em vão. 

O ” Outono em Jazz” é a concentração da improvisação de diversos artistas que possuem uma vasta versatilidade, sem que um foco de resistência tendencial os imane.

Entre o dia 11 de outubro e 2 de novembro, voam até à Casa da Música artistas de diversos lugares do mundo que reúnem vozes e instrumentos que levam o público ao mundo das harmonias improváveis.

O passado dia marcou a iniciação com o encontro de Maria João e Egberto Gismonti, que uniram a voz, o piano e a guitarra de 10 cordas num concerto transcendente.

Seguiu-se assim Eduardo Cardinho (12),  que apresentou o seu quarteto, um projeto recente, ao Café da Casa da Música. A exploração entre os sons resultantes do vibrafone e do acordeão com o suporte de bateria e contrabaixo permitiram uma harmonia desconcertante, contando com a colaboração de João Barradas, Bruno Pedroso e André Rosinha.

Cartaz do Ciclo, Casa da Música

As almas do Jazz que completam o ciclo da Casa da Música

Com uma programação que se prolonga até ao próximo mês, as viagens pelo Jazz até às diferentes partes do mundo reservam surpresas.

A 15 de outubro o flamenco e o jazz completar-se-ão em La Bejazz“Melchor chico”, Javier Carmona Bono, Bernardo Parrilla,  “di Bonno”, “Curro Cueto”, Dario Vallecillo Javier Carmona uniram os seus dons musicais e criaram o que se viria a tornar um sucesso, desde 2005.

No mesmo dia, segue-se Anat Cohen & Marcello Gonçalves com Roberta Sá. O Clarinete, o violão de 7 cordas e a voz protagonizam um momento único do género do improviso, na Casa da Música, pelas 21.00h.

Quanto a Afonso Pais & Rita Maria, aconchegaram a sala da Casa da Música no dia 18 do mesmo mês.

Os artistas irão apresentar o disco Além das Horas que,  segundo o site oficial do espaço onde decorrerá o concerto, se define como uma das propostas nacionais de jazz mais aclamadas do ano passado.

Mat Maneri ,Evan Parker e Lucian Ban irão apresentar a sua versatilidade no mesmo dia, no qual o pioneiro da viola d’arco no mundo harmonioso do Jazz, juntamente com o saxofonista Parker e o pianista Ban, transformará o concerto em algo memorável.

Quanto à quinta-feira que se segue, Araya Berros apresentam a forma como a improvisação alimenta ouvidos em Buenos Aires. Num concerto arrebatador onde o Tango forma um decomposição e explosão, “desintegra-se e reconstrói-se, ramificando-se em células minúsculas e abandonando a sua pressuposta imutabilidade.”, como é possível verificar no site oficial, Fabián Araya e Santiago Berros unem as suas vocações para realizar um concerto arrebatador.

É dessa forma que se avizinha o fim-de-semana. A diva do jazz Dianne Reeves, conta com um Grammy Award: Beautiful Life  e uma versatilidade que desloca de qualquer vulgaridade. Desta forma, o dia 22 de outubro será memorável.

Para a última semana do ciclo reservam-se nomes como: Quartabê (22), Tony Allen Quartet (Tribute to Art Blakey) (23), Marcelo D2 & SambaDrive (23), Jack Broadbent, Marc Ribot & The Young Philadelphians (plus strings) (25), Everything is Waiting Gonçalo Neto (26), Peter Evans (30), Pablo Lapidusas International Trio – P.L.I.N.T (02 de novembro).

Os 12 concertos, provenientes de 17 propostas, permitem a celebração do Jazz no seu leque de diversidade e leva-nos além do imaginário.

Os bilhetes já se encontram disponíveis, podendo ser adquiridos na Casa da Música, no Porto.

 

 Newsletter