O SENTIDO – LOST EDITION

Dezembro é mês de reflexão, pode parecer clichê, mas é sempre bom quando paramos tudo e olhamos para o que fizemos e o que estamos a fazer.

2018 foi sem dúvida o ano da FAIRE, o ano em que ela se pode solidificar e o ano em que se pode redefinir. Criamos, e falo sempre no plural porque sem a minha equipa, não tinha conseguido nada do que consegui. Criamos uma revista, a revista, que pretende mudar a comunicação social, mudar a forma como a moda portuguesa é vista. A FAIRE nasceu já no ano passado, dia 20 de abril de 2017 com esse propósito. 

Erramos, eu errei enquanto diretor, mas aprendemos! Não há que ter vergonha em assumir isso e muito sinceramente, espero ainda errar umas quantas vezes. 

Ao longo deste ano, entraram e saíram pessoas. Umas abraçaram a revista como sua, outras como uma mera passagem, mas tenho de agradecer a elas todas. Porque de certa forma, todas elas tornaram o ADN desta revista mais rico. 

Entrevistamos personalidades maravilhosas, desenvolvemos conteúdo enriquecedor, tentamos criar editoriais que marcassem pela diferença. Mas acima de tudo tratamos a Moda Nacional com respeito e lutamos por ela. 

Vivemos em constante rotação, o BOOM de hoje é o insignificante de amanhã. Mas a FAIRE veio para ficar. Sem medos, sem receios, vamos continuar arriscar. Vamos continuar a lutar e provar qual o nosso propósito. Dia após dia, são vários os designers que entendem o nosso conceito e agradecem o nosso esforço. 

Como disse Jean Paul Gaultierr um dia, “a vida e a moda estão sempre a mudar” este ano, finalizamos com a edição LOST, uma edição que pretendemos relembrar os nossos leitores de algumas, passo a redundância, coisas que possam estar esquecidas. Falamos de muita moda, relembrando o conceito streetwear, falamos de muitas marcas portuguesas, falamos com designers, com atores, viajantes, partilhamos com o nosso público aquele que é para nós o sentido desta edição, relembrar as emoções.

Enquanto Diretor, estou orgulhoso, podíamos ter feito mais? Sim podíamos, foi fácil? Não, mais uma vez voltamos a sentir por parte de algumas entidades, a dificuldade de trabalhar em prol de uma mudança. Há dias conversei com uma grande empresa e a mesma revolta que sentiam, eu também a sinto. A todos que se vão cruzando pelo nosso caminho, a FAIRE, eu, a minha equipa e todos aqueles que se juntam a nós, estão aqui para vos ajudar e promover de certa forma o vosso trabalho. Não fechem as portas a quem vos quer ajudar. Trabalhem em parceria com outras tantas empresas, a entre-ajuda, faz levar as pessoas longe!

Para 2019, só posso pedir continuação de muito sucesso e preparem-se, pois virão muitas mudanças e surpresas para o novo ano.

o Diretor,

Fábio Miguel Sernadas

 Newsletter