Leituras partilhadas no Dia da Mãe

Mãe não tem limite, / é tempo sem hora, / luz que não apaga /quando sopra o vento / e chuva desaba,/ veludo escondido / na pele enrugada, / água pura, ar puro, /puro pensamento. (…) Mãe, na sua graça,/ é eternidade. 

Carlos Drummond de Andrade

Um bom livro deve ser sempre partilhado, e neste dia tem ainda mais um motivo para o fazer: é Dia da Mãe. Numa tentativa de promover bons momentos entre mães e filhos, a Faire selecionou três livros que vão surpreender ambos. Mas como ser mãe começa desde logo na gravidez, escolhemos três livros que se adaptam às três grandes fases da maternidade.

Se o seu rebento ainda não completou as semanas previstas de gestação, não pense que este dia ou estes livros não são para si. Comece já a preparar-se para “uma vida selvagem” – quem o diz é a Diana Garrido e a Rita M. Pereira, no mais recente livro de ambas Amãezónia. As autoras relembram que a vida não começa na maternidade, mas também não acaba, a felicidade apenas aumenta. A par do livro, mantêm ainda um blogue com todas dicas para as amãezónicas.

Passada a fase do biberão e da chupeta, uma nova etapa surge: ler para adormecer. Não há melhor momento para uma mãe partilhar um bom livro com o seu filho. Para isso a Faire, a par do Plano Nacional de Leitura pré-escolar, recomenda As Caras da Mãe, de Rita Ferro. Esta é uma obra “que pretende evidenciar a relação de amor forte e incondicional entre mãe e filho” – vai certamente proporcionar um final de dia feliz aos dois.

O terceiro livro é descrito como “uma verdadeira homenagem a todas as mães do mundo” – Mãe de Alejandro Palomas. Contada pela voz do filho mais velho, este livro conta a história de uma mãe que tem o sonho de reunir a sua família. Uma obra marcante com a qual mãe e filho se irão identificar e que irá reforçar os laços desta relação.

 Newsletter