Leituras do mês

Todos os dias o universo literário cresce; todos os dias são publicadas obras, quer de autores que têm vindo a acompanhar as diferentes etapas das nossas vidas, quer de novos autores com esperança de reunir e formar uma massa leitora. E neste mês de maio não foi diferente. Assim, a FAIRE sugere-lhe três livros que devem ser lidos durante este mês, para que no próximo esteja livre para acompanhar novas leituras.

 

 

Prémio Literário José Saramago no ano 2009, João Tordo tem já inúmeros romances e antologias publicadas. O seu mais recente livro, lançado a 3 de maio, é o final de uma “trilogia da intimidade” – O Deslumbre de Cecilia Fluss. Ainda que faça parte de uma trilogia – juntamente com O luto de Elias Gro e O Paraíso segundo Lars D – este pode ser lido de forma independente. Uma obra de reflexão sobre a vida e a condição humana, que tem como temas a memória, o afeto, o amor, a desolação e a vida terrena e espiritual.


Por treze razões
– que só este mês teve a primeira publicação em português – é o livro que dá origem à recente e mediática série da Netflix. O desenrolar da história gira em torno de trezes razões pelas quais uma jovem decidiu cometer o suicídio. É, sem dúvida, uma obra de alerta e que estimula a autorreflexão – Qual poderá ser o impacto dos meus atos e das minhas palavras na vida de cada um?

 

Mantendo a forma de escrita envolvente e cativante do seu bestseller A Rapariga do Comboio, Paula Hawkins lança agora Escrito na Água. Num estilo intimista e confecional, mas com um enredo muito intrincado, esta obra promete aguçar a curiosidade dos leitores até à última página – O que será que esconde aquele rio e o porquê de tantas mulheres se sentirem atraídas por ele, ao ponto de acabarem mortas por afogamento? Segundo críticos, esta obra promete dar continuidade ao triunfo do seu primeiro romance.

 Newsletter