Splitting, Cutting, Writing, Drawing, Eating… What is it?

A exposição Splitting, Cutting, Writing, Drawing, Eating foi inaugurada no dia 5 de maio e estará patente até ao dia 3 de setembro, no Museu de Serralves, no Porto. Em parceria com o Canadian Center for Architecture em Montreal, a mostra apresenta uma coleção das obras de Gordon Matta-Clark – desde esquissos, fotografias e vídeos.

A conceção de Gordon Matta-Clark sobre arquitetura é considerada por muitos como sendo completamente out of the box. O arquiteto explica-o através do meio onde nasceu, uma vez que é filho de artistas, pelos colegas com que se relacionou mas também pelas viagens que marcaram a sua educação.

Paralelamente com início da sua carreira, a Land Art começa a tomar forma. Uma vertente artística onde o terreno e o imóvel, em vez de fazer parte do ambiente para uma obra de arte, é ele próprio trabalhado de modo a integrar-se à obra. O laço íntimo que une esta corrente artística à arquitetura é, portanto, notório e Matta-Clark usufrui dele até marcar a sua diferença.

Gordon questiona o papel e as formas tradicionais de arte e desenvolve o seu trabalho em torno da exploração da fotografia, do filme, do desenho, da colagem e da performance sempre com base na arquitetura que idealiza e realiza.

Separar, Cortar, Escrever, Desenhar, Comer é então a ideologia da arquitetura de Gordon Matta-Clark, construindo uma visão alternativa que passa, literalmente, por fazer espaço sem o construir. A arquitetura é nada mais do que o suporte para a arte que Matta-Clark concretiza.

 Newsletter