AS EMOÇÕES DO SEGUNDO DIA DO MEO MARÉS VIVAS 2018

O segundo dia do Meo Marés Vivas foi uma maré de emoções. Das baladas de Carolina Deslandes, dos êxitos de Kodaline até à euforia provocada por David Guetta.

 

A estreia de Carolina Deslandes no palco principal do Meo Marés Vivas

Carolina Deslandes foi a primeira a pisar o palco principal do Meo Marés Vivas, às 19 horas. A única mulher que subiu ao palco, durante a noite de sábado, como a própria apontou. A artista estava grata pelo sucesso do novo panorama de música nacional. Creditou tal fenómeno à nova geração que os ouve e admira.

©Meo Marés Vivas
©Meo Marés Vivas

A cantora apresentou temas do seu mais recente álbum “Casa”. Soaram os temas “Avião de Papel” e a “Vida Toda”. As primeiras músicas da artista não ficaram esquecidas: “Não é verdade” e “Mountains”.

Se antes Carolina sonhava com o seu momento Abrunhosa – momento no qual o público cantava o refrão de cor e salteado, após a primeira palavra – agora, a cantora tem o seu momento Deslandes.

A cantora apresentou, ainda, um medley repleto de hits célebres, tais como “Oops!…I Did It Again” de Britney Spears, “Ouvi dizer” de Ornatos Violeta, “Nunca me deixes” dos Da Weasel e “Não sejas agressiva” de Dillaz.

Como seria a única mulher a subir ao palco principal, na de noite de sábado, a cantora relembrou o talento das mulheres portuguesas. Carolina Deslandes destacou o talento de Blaya e April Ivy, todavia apontou que a lista não ficava por aí.

©Meo Marés Vivas
©Meo Marés Vivas

Para celebrar o talento das mulheres, a artista cantou temas de Sia (“Elastic Heart”) e de Dua Lipa (“Scared to be Lonely”).

O concerto de Carolina Deslandes contagiou o público de energias positivas e a mesma admitiu que “se não estivesse grávida, estava já a fazer crowd surfing. Um concerto para relembrar, certamente.

The Black Mamba e os blue rock

Às 21.30 horas foi a vez da banda The Black Mamba subir ao palco e aquecer o público. A banda que está a trabalhar no terceiro álbum de originais, que será o sucessor de “Dirty Little Brother”, trouxe consigo o single “Stronger” que integra o novo disco.

©Meo Marés Vivas
©Meo Marés Vivas

“It Ain’t You”, “Love and Happiness” de Al Green, “Let’s get it On” de Marvin Gaye e “Sweet Lies” foram algumas das melodias que soaram, durante o concerto.

©Meo Marés Vivas
©Meo Marés Vivas

A banda despediu-se com o tema “Wonder Why” e surpreendeu o público com um concerto notável.

O regresso dos Kodaline

A plateia ansiava o regresso da banda irlandesa Kodaline, que atuou às 23:30. “Love Like This” deu início a um concerto que corresponderia às expectativas da plateia que esgotou a bilheteira do segundo dia do festival.

©Meo Marés Vivas
©Meo Marés Vivas

Soaram, ainda, temas célebres da banda, tais como “Summer“, “All I Want“, “Ready“, “One Day“, “High Hopes” e “Brand New Day“.

©Meo Marés Vivas
©Meo Marés Vivas

single Brother“, que integrará o alinhamento do novo disco “Politics of Living“, não ficou esquecido e tirou muitos telemóveis do bolso para registar o momento.

©Meo Marés Vivas
©Meo Marés Vivas
David Guetta – o auge da noite

1 hora da manhã e a plateia provou ter a energia necessária para tirar o pés do chão e dançar ao som de David Guetta. O DJ e compositor francês trouxe consigo os seus melhor êxitos e não só.

©Meo Marés Vivas
©Meo Marés Vivas

Love is gone” e “When love takes over” que são dos temas mais icónicos da sua autoria integraram o alinhamento. Entre jogos de luz e fumo, o francês trouxe ainda os hits Hey Mama“, “Titanium“, “Shot me down” e muito mais.

©Meo Marés Vivas
©Meo Marés Vivas

David Guetta homenageou, ainda, o DJ Avicii, que se suicidou em abril deste ano, com o tema “Wake me up”.

 

 

 Newsletter