“Le Syndrome Ian”: o desfecho da trilogia do entendimento da dança

Em 1979, Inglaterra revelava uma noite onde a escuridão, possivelmente poética, apresentava cada movimento desencadeado por aqueles que sentiam as harmonias de um grupo de elementos que fazia os corpos humanos mexer. Eis a obra do Rizzo.

Depois da febre de SIFA – Festival Internacional das Artes em Singapura, Christian Rizzo leva o seu trabalho além dos palcos asiáticos. Portugal vira fascínio e o destino final é a cidade Invicta. É desta forma que Le Syndrome Ian assinala a sua estreia nacional no Grande Auditório do Teatro Municipal do Porto – Rivoli, no dia 15 de Setembro, pelas 21.30h.

Não sendo uma estreia do artista na cidade portuense, em Setembro de 2015, Christian Rizzo, observou as danças comunitárias e foi com “D’Après Une Histoire Vrai” que surpreendeu o público português juntamente com leimotiv (grupo de bailarinos).

No ano seguinte, “Ad Noctum” vem completar o estudo da poesia e da exploração do movimento mo ambiente noturno. Observar o entendimento de uma ligação física e mental através da dança em par , entre corpos, foi o que permitiu chegar a “ Le Syndrome Ian.”

É possível considerar uma obra com um final especial, um reflexo leve de um coreógrafo que desfrutava das noites gloriosas nas pistas dos clubes noturnos de Inglaterra.
As melodias de Joy Division e do vocalista Ian Curtis marcou a mente daqueles que os assistiram.
O movimento pós-funk permitiu o olhar de uma sociedade invulgar e, é exatamente esse olhar que “Le Syndrome Ian” estabelece em palco, através dos movimentos de 9 bailarinos que se desencadeiam em tempos diferentes e que protagonizam os mesmos do início até ao final do espetáculo.

A contaminação de Rizzo é o reflexo de experiências vividas e que, actualmente, ainda se revelam naqueles que recorrem ao movimento em comunidade na procura de uma tranquilidade em conjunto, algures na noite.

O artista Christian Rizzo, atualmente diretor do Centre Corégraphique National de Montepellier Languedoc-Rouillon, é uma referência das artes performativas francesas que se assume como Oficial das Artes e das Letras, um reconhecimento do governo francês.

O entendimento das tipologias da dança consagra o seu término com um espetáculo único e, dessa forma, para que todos possam presenciar esse despertar os bilhetes já se encontram disponíveis.

 

 

 Newsletter