Barbie – Quem és tu afinal e de onde vieste?

Quem cresce a brincar com Barbies cresce fascinado pelas curvas, pelo cabelo, pelas roupas, pela fantasia, cresce repleto de imaginação. Porque com uma Barbie tudo é possível. Mas afinal quantos anos tem a Barbie e qual é a história por trás da cara bonita?

Ruth Handler e o seu marido Elliot Handler, – um dos fundadores da Mattel – durante a década de 50, observavam as brincadeiras da sua filha Barbara. Esta brincava com bonecas de papel que figuravam mulheres esbeltas. Não existia até à data bonecos que espelhassem a idade adulta, na mulher.

barbie
Ruth e Elliott Handler

Ora então, se a filha gostaria de brincar com bonecas que não fossem de papel ou então bonecos bebés, Ruth sugeriu ao marido a criação de uma boneca adulta. Porque não?

Bonecas de papel

Os meninos tinham muito com que brincar e poderiam ser cowboys, astronautas e médicos. Já as meninas poderiam brincar com as bonecas de papel que seriam, então, a única forma de expressão de moda (em brinquedo) ou, então, com bebés e sonhar em serem donas de casa e mães. Tinha chegado a altura de mudar esta mentalidade e inspirar as meninas que poderiam ser muito mais.

 

“My whole philosophy of Barbie was that, through the doll, the little girl could be anything she wanted to be. Barbie always represented the fact that a woman has choices.”

-Ruth Handler

 

Iniciou-se, assim, uma viagem à procura de inspiração – inspiração que Ruth viria encontrar onde menos esperava. Em 1959, durante uma viagem de férias à Suíça, Ruth deu de caras com a boneca alemã Bild Lilli, criada em 1955.

A personagem Bild Lilli nasceu precisamente, em 1952, sendo uma personagem feminina da banda desenhada do jornal Bild. A protagonista Lilli era caracterizada de forma erótica e nas suas tramas perseguia homens ricos para alcançar a fortuna e o sucesso.

Em 1955, Lilli transformou-se numa boneca e mudou o seu nome para Bild Lilli. As bonecas foram criadas pela O&M Hausser. Foram produzidos 130 mil exemplares e eram vendidos em bares e tabacarias.

Bild Lilli, a boneca que serviu de inspiração e modelo para a criação da Barbie.

O público alvo da Bild Lilli não eram as crianças. O brinquedo era de cariz erótico, uma vez que a boneca ficava sentada de pernas abertas. Esta seria um presente para as namoradas, uma decoração para o carro ou uma prenda de despedida de solteiro.

Mas este aspeto erótico não assustou Ruth Handler. Comprou logo várias. A proporção de Bild Lilli seria perfeita para produzir a boneca adulta que a sua filha sonhava. E, em 1964 a Mattel comprou os direitos produção fabricação da boneca Bild Lilli para garantir exclusividade.

Ruth Handler

Já nos Estados Unidos, Ruth redesenhou a boneca com o designer Jack Ryan – pai da Barbie – e batizou-a com o nome da sua filha, mas abreviado, Barbie.

A Mattel, inicialmente, recusou a ideia, mas a 9 de março de 1959, foi apresentada, na célebre Feira Anual de Brinquedos de Nova Iorque. Apesar deste ano ficar marcado como o aniversário oficial da boneca, a Feira não foi o local ideal para a estreia da Barbie, uma vez que era predominantemente frequentada por homens e estes não sabiam como brincar com a boneca.

A penetração no mercado foi difícil. As mães também não gostavam da Barbie, apelidando-as de “Daddy’s Dolls”. O Marketing tornou-se essencial. O psicanalista Dr. Ernest Ditcher, conhecido como o “Manipulador”, foi essencial nas estratégias implementadas.

A primeira estratégia? Nos anos 50, o casamento era fundamental para as mulheres e para conseguir um marido, estas tinham de cuidar bem da sua imagem. E qual seria a figura que poderia incutir tal nas mais pequenas? A Barbie! As mais novas poderiam aprender a cuidar de si com a Barbie, a pentear a boneca e a vesti-la.

O primeiro anúncio televisivo apresentou a Barbie num vestido de noiva, lembrando, assim, o objetivo da boneca às mães e aos homens. Após o anúncio, a procura superou a produção.

Existiram diversos modelos, roupas novas, acessórios. Enfim, nasceu um mundo à parte para os mais novos criarem e darem asas à sua imaginação. A Barbie mais vendida de sempre foi a Totally Hair Barbie, criada em 1992.

Totally Hair Barbie

O seu marido Ken – batizado em honra do filho de Ruth e Elliot, Kenneth – nasceu em 1961 e em 1963 foi criada a sua primeira amiga, Midge. A família da Barbie cresceu também, em 1964, com a criação da sua irmã mais nova, Skipper. Estas foram criadas para acabar com a ideia de que a Barbie seria um símbolo sexual. Ao longo dos anos, as amigas foram crescendo e existem imensos modelos.

Boneca Midge, a amiga da Barbie

Mas nem tudo é um mar de rosas. A História da boneca mais icónica de sempre tem várias controvérsias. A Barbie esteve envolvida em várias polémicas quer sobre o erotismo que a boneca poderia desencadear nas crianças quer sobre as suas medidas irreais. Até um set de roupa gerou discussão no que toca aos valores que transmitia. Este era composto por um pijama, uma balança que marcava 50kg e um livro intitulado “Como perder peso” e que na parte de trás dizia “Não coma”.  E, ainda, há a Barbie que dizia “Matemática é difícil” – estaria a fortalecer o estereótipo que a matemática não é para mulheres.

Set Festa de pijama, 1965

Atualmente, existem diversos modelos. Existem Barbies baixas, Barbies mais altas, Barbies com mais curvas, Barbies com cabelo azul e, ainda, existem inúmeras profissões que pode exercer.

A imaginação é o limite. E deixa de subsistir o estereótipo de que a Barbie tem um corpo que ninguém pode alcançar, porque as medidas descritas como irreais, não são as únicas da boneca, atualmente.

A Barbie que teve cerca de 180 carreiras desafia os mais novos a concretizar o impossível, vivendo sob o mote “You can be anything”.

 

  • Mais sobre a Barbie

Série Netlix: The Toys That Made Us – Episódio 2

 

 

 

 

 

 

 

 

Documentário: Tiny Shoulders: Rethinking Barbie
 Newsletter